13 / 11 / 2018

CONFISSÕES “ – Do sagrado e do profano.

O grupo de  Teatro da  Universidade Federal da Paraíba  sob o patrocínio do Fundo Municipal de cultura – FMC, através do Núcleo de Teatro Universitário- NTU, apresenta o  espetáculo “Confissões”, texto de Paulo Vieira e direção de Everaldo Vasconcelos, com os atores Edilson Alves e Everaldo Pontes. Na Capela de  Santa Terezinha ao lado da Igreja do Carmo no centro da cidade de João Pessoa,nesta quinta (19) a sexta  (20) de abril sempre as 19 hs.

 “Confissões” é um texto que revisita as Confissões de Santo Agostinho, um dos mais importantes teólogos e filósofos dos primeiros anos do cristianismo, cujas obras foram muito influentes no desenvolvimento do cristianismo e da filosofia ocidental. No espetáculo mostra  o encontro de Santo Agostinho com um amigo de  infância que se tornou ator. surgem os conflitos a partir de visões de  mundo diferentes e um afeto resgatado a partir da memória.

Aos dezessete, graças à generosidade de um amigo, Romaniano, Agostinho mudou-se para Cartago para estudar retórica. Embora tenha sido criado como um cristão, passou a seguir ali o maniqueísmo, para desespero de sua mãe. Como todos os jovens de sua época e classe social, Agostinho adotou um estilo de vida hedonista por um tempo, associando-se a outros jovens que se vangloriavam de suas aventuras sexuais com mulheres e homens. Os mais velhos estimulavam os mais inexperientes a contar ou inventar histórias sobre aventuras para que fossem aceitos. É deste período uma famosa oração de Agostinho, “Senhor, conceda-me castidade e continênciamas não ainda”. Dois anos depois, Agostinho iniciou um romance com uma jovem cartaginense, mas, provavelmente para manter-se em condições de realizar o desejo de sua mãe de casar com alguém de sua própria classe social, o casal se manteve em concubinato por mais de treze anos, período no qual tiveram um filho, Adeodato, um rapaz considerado extremamente inteligente por seus contemporâneos. Em seu período hedonista, Agostinho frequentava com muito gosto o teatro. Nas suas Confissões, passou a condená-lo veementemente. 

E é nesse contexto que o espetáculo “Confissões” se insere. No debate entre Agostinho, o Bispo de Hipona, e Miguel, um ator saltimbanco. No diálogo, por vezes tenso entre ambos, surge o ponto de vista absolutamente apaixonado de Santo Agostinho pelo teatro, embora uma paixão que seja negada veementemente. 

O espetáculo  e um jogo teatral minimalista, com cenários e figurinos mínimos, uma iluminação desenhada .

No  elenco  dois atores  de  experiências  e  trajetórias e distintas. Everaldo  Pontes  e  Edílson Alves que se encontram para  minutos  de  confissões.O modo como um espetáculo inicia é algo misterioso, não há regras, nem mesmo sinais seguros de que as coisas estão começando para valer. É um mistério.Este mistério do teatro á aprendido em um longo percurso de tentativas e erros. Nós desenvolvemos a intuição do momento exato do espetáculo e passamos a nos manter dentro daquela faixa de energia que possibilita construção do mesmo. A criação teatral é repleta de acasos e necessidades, comentou  Everaldo Vasconcelos , diretor  do espetáculo.

Numa realização  do  Grupo de Teatro da UFPB, texto de Paulo Vieira, encenação de  Edilson Alves e Everaldo Pontes, Fotografia de  Gustavo Moura, Figurinos de Sanzia Márcia, direção Geral Everaldo Vasconcelos, produção executiva Giovana Gondim e Eyclic produções.

 

Serviços:

“CONFISSÕES “ – Do sagrado e do profano.

Capela Santa Terezinha  ( Igreja do Carmo) – Centro da cidade

De quinta (19) a Sexta (20)

Horas 19h00

Ingressos: Inteira  R$ 20,00- Estudante – R$ 10,00

Informações: (83) 99926-6111 Giovana Gondim

Fonte: Edilson  Alves –  Ator e Diretor

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *